Postadores do Mês
Lufa-lufa
000
Grifinória
000
Corvinal
000
Sonserina
000
Últimos assuntos
» Registro do Espelho do Destino
Qua 19 Abr 2017, 12:11 por Petra Kim DiNozzo

» Produtos
Ter 28 Mar 2017, 21:13 por Petra Kim DiNozzo

» Interior da Floresta Negra
Qui 16 Mar 2017, 23:00 por Circe, o Basilisco

» Cela 32
Qui 16 Mar 2017, 22:40 por Robert S. Winchester

» Entrada de Azkaban
Qui 16 Mar 2017, 22:40 por Circe, o Basilisco

» Escritório
Qui 16 Mar 2017, 14:41 por Emily R. Watsgrint

» Campo de Quadribol
Seg 13 Mar 2017, 16:18 por Isabella F. Highmore

» Corredores do Quinto Andar
Dom 12 Mar 2017, 22:27 por Emily R. Watsgrint

» Pedidos do RPG
Dom 12 Mar 2017, 21:28 por James C. Armstrong

Conectar-se

Esqueci minha senha

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 42 em Ter 17 Jun 2014, 19:05
Parceiros 2/44

Corredor do segunda andar

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Corredor do segunda andar

Mensagem por Alexia R. Watsgrint em Seg 05 Mar 2012, 13:10


Corredor do segunda andar


O Corredor do Segundo Andar começa nas grandes escadarias. Este corredor possui a porta para o banheiro das meninas (Interditado). O corredor do segundo andar costuma ser fechado, possuindo poucas janelas e objetos para ventilar o local.

w w w . a c c i o h o g w a r t s . f o r u m e i r o s . c o m . p t


Última edição por Alexia M. Watsgrint em Qui 15 Maio 2014, 20:28, editado 1 vez(es)
Hogwarts Direção
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 78
Casa:: Corvinal
Time: Canhões de Chudley

Alexia R. Watsgrint
http://acciohogwarts.forumeiros.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Robert S. Winchester em Sab 25 Jan 2014, 06:03

Eu acabara de subir as escadas do segundo andar e me encontrava em frente a um corredor, andei um pouco por ele, o que se revelou um desperdício de tempo, já que não havia muitos lugares onde poderia ir naquele andar antes das aulas começarem, então retornei para as escadas e subi para o terceiro andar



ɸ Slytherin ɸ

Robert S. Winchester
Monitor Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 26
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Robert S. Winchester

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Patrícia Aslan em Sex 28 Fev 2014, 12:26





Corredor do




2º Andar



Caminho pelo salão sorridente e observando os quadros e os outros alunos que passavam por ali, olhei mais a frente e vi Robert parado no meio do corredor, caminhei até ele e sorri, ele me encarou.

- Que foi?
- Nunca imaginei que você viria aqui para me acompanhar até o salão principal!
- Não vim aqui para isso.
- Detalhes... Vamos?

Ele deu de ombro e começou a me acompanhar, caminhamos um pouco quando, ao passar pelo quandro de avisos, vi algo que me chamou atenção, parei e voltei até o quadro.

- Vai ter um baile de inverno! - falei ao ler o anuncio - Não é o máximo?
- Vai? - ele ergue a sobrancelha.
- Deixa de ser chato... É claro que vai! - olhei para o anuncio novamente e depois voltei a olhar para Robert - E então?
- E então o que?
- Não vai me convidar para o baile?

Ele me olha e responde.



Narração
Minha Fala
Fala Robert


Fantasma
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 3
Casa:: Grifinoria
Time: Tornados de Tutshill

Patrícia Aslan

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Robert S. Winchester em Sex 28 Fev 2014, 14:15




Convidando para o Baile



Terminei de ler o anuncio, olhei para o lado e Patrícia me olhava.

- E então?
- E então o que?
- Não vai me convidar para o baile?
- Que baile?
- O baile de inverno de Hogwarts!
- Por que eu te convidaria?
- Porque não conheço ninguém aqui... E então, vai me convidar ou não?
- Tá... Então irmã do Jack, quer ir comigo?
- Me convida direito... Parece que nem quer ir comigo!
- Eu não quero ir é de jeito nenhum! – ela me encara – Tá okey... Querida Patrícia Aslan, irmã do meu melhor amigo, gostaria de me honrar com sua companhia no Baile de Inverno de Hogwarts?

Ela me olha e sorri.


LEGENDA


Narração
Minha Fala
Fala Patrícia






ɸ Slytherin ɸ

Robert S. Winchester
Monitor Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 26
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Robert S. Winchester

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Emily R. Watsgrint em Sex 28 Fev 2014, 14:24


Corredor

Convite inesperado



Caminha em por Hogwarts a procura de Robert, mas nao o encontrava, queria saber se ele sabia do Baile, mas nao o encontrava, assim que estava prestes a virar para o corredor do 2 andar ouvi vozes que me eram conhecidas.

- Tá okey... Querida Patrícia Aslan, irmã do meu melhor amigo, gostaria de me honrar com sua companhia no Baile de Inverno de Hogwarts?

Olho bem rapidinho e vejo que era Robert e Patricia, meu coraçao acelera um pouco e decido ir por outro caminho.




Minha Fala
Robert Fala
Outras Falas
Jack Fala
Milena Fala
Jessica Fala
Edward Fala
Pensamentos
Narracao





Emily Watsgrint
Robb
 
Monitora Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 23
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

Emily R. Watsgrint

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Patrícia Aslan em Sex 28 Fev 2014, 14:56





Corredor do




2º Andar



Dobro o corredor e esbarro com alguém, levantoCaminho sorridente pelo pátio, após andar um pouco me apoio em uma estátua para descançar, vejo Emily passando, sorrio e corro até ela.

- Não!
- AH VAI SE F.
- Calma – gargalhei – Eu estava só brincando.

Ele me encarou e fechou a cara.

- Sim, eu adoraria ir com você! - sorri e peguei em seu braço - Agora vamos para o salão que estou com fome!

Caminhamos até o salão conversando um pouco, embora Robert estivesse bem distraído.




Narração
Minha Fala
Fala Robert

Fantasma
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 3
Casa:: Grifinoria
Time: Tornados de Tutshill

Patrícia Aslan

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Robert S. Winchester em Sex 14 Mar 2014, 08:20


Conversa com Kedrame


Sai para o corredor e decidi ir para o jardim, caminhei um pouco e em uma curva acabei trombando com Kedrame, ele sorriu e se desculpou.

- Como vai Robert?
- Bem... – respondi meio desanimado – E você Kedrame?
- Eu estou ótimo!
- Maravilha... – falei sarcástico.
- Qual o lance entre você é a Jéssica? – o encarei.
- Como?
- Quero saber se posso investir e... – ele coça a cabeça, eu o encaro sem impassível – Se eu conquista-la se você vai ficar nervoso?
- Kedrame... Meu caro... Eu lhe aconselharia a se afastar dela, simplesmente porque ela é louca... Nada além disso... Mas se quer investir, vai em frente, não se preocupe comigo!
- Legal... – ele sorri – Você é um cara legal!

Conversamos mais um pouco e depois ele segue seu rumo sorrindo, eu volto a trilhar meu caminho em direção ao jardim.

LEGENDA


Narração
Minha Fala
Fala Kedrame




ɸ Slytherin ɸ

Robert S. Winchester
Monitor Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 26
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Robert S. Winchester

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Robert S. Winchester em Qua 16 Abr 2014, 13:12

Quest 1 - 1º Ovo Dourado -
Ovo ao pé de uma armadura
Caminhava distraídamente pelos corredores do segundo andar, estava com sono e minha cabeça doía, ao dobrar um corredor noto algo brilhando ao pé de uma armadura, caminho até ela e encarou, assim que me aproximo reconheço como sendo um ovo dourado, encaro aquilo por alguns segundos, até que me lembro que o professor de medibruxaria ia fazer uma gincana, não me lembrava direito as regras, mas decidi que isso não importava muito, levei a mão até o ovo e o toquei.
Ao tocar no ovo uma voz de uma mulher surge, a princípio me assusto, mas presto atenção ao que é dito.
“Incapaz de morrer, ao máximo reviver, ao meu grito ouvir, lembrara de um amigo a surgir, Quem sou eu?”
Tentei puxar o ovo, ignorando a voz, mas ele aparentava pesar uma tonelada, decidi prestar atenção a pergunta novamente, assim que a ouvi pela terceira vez descobri o que era.
- Uma Fênix!
Assim que respondi o ovo se soltou do chão, talvez estivesse enfeitiçado para ser liberado apenas quando a resposta certa fosse revelada, enfiei o ovo dourado em um bolso dentro das minhas vestes e sorri, talvez eu até gostasse de participar desta gincana ou o que quer que fosse. ME levantei e voltei a trilhar meu caminho.


Narração ɸ ɸ ɸ Robert ɸ ɸ ɸ Voz Feminina




ɸ Slytherin ɸ

Robert S. Winchester
Monitor Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 26
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Robert S. Winchester

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Robert S. Winchester em Dom 26 Out 2014, 00:23



Encontro Inesperado


Eu avançava furtivamente pela escadaria principal, não queria, nem podia, ser visto por ninguém, aquilo levantaria suspeitas e perguntas e eu não queria responder a nada naquele momento, saltei os últimos lances de degraus da escada e adentrei no corredor que levava ao banheiro feminino abandonado, eu tinha feito aquele percurso tantas vezes que já sabia exatamente onde ir mesmo sem olhar.
E fora devido a tal confiança que eu retirei um pequeno pedaço de papel do bolso, desdobrei-o dando uma última conferida no corredor e depois comecei a lê-lo.
Anotações I:

dear XX,




BASILISCOS
BASILISK (BASILISCO), também chamado King of Serpents (Rei das Cobras)
Classificação M.M.: XXXXX
O primeiro basilisco de que se tem notícia foi criado por Herpo, o Sujo, um bruxo das trevas de nacionalidade grega e ofidiglota, que descobriu, após muitas experiências, que um ovo de galinha chocado por um sapo produzia uma cobra gigantesca dotada de poderes extraordinariamente perigosos. O basilisco é uma cobra verde-vivo que pode alcançar quinze metros de comprimento. O macho tem uma pluma vermelha na cabeça. Suas presas são excepcionalmente venenosas, mas seu órgão de ataque mais poderoso são os grandes olhos amarelos. A pessoa que os encara sofre morte instantânea.
Se a fonte de alimentos é suficiente (o basilisco come todos os mamíferos e aves e a maioria dos répteis), ele pode atingir uma idade avançada. Acredita-se que o espécime de Herpo, o Sujo, viveu quase novecentos anos.
A criação do basilisco foi declarada ilegal desde a época medieval, embora a prática seja facilmente dissimulável, pois basta remover o ovo de galinha do choco do sapo quando o Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas aparece à porta. Contudo, uma vez que os basiliscos não são controláveis, exceto por ofidiglotas, eles oferecem tanto perigo à maioria dos bruxos das trevas quanto a qualquer outra pessoa, e não há registros de basiliscos na Grã-Bretanha nos últimos quatrocentos anos.
Os basiliscos estão entre as mais temíveis criaturas mágicas. Os basiliscos foram descritos como seres capazes de matar mesmo à distância. Segundo o naturalista romano Plínio, “matam os arbustos sem nem mesmo tocar neles, só com a respiração, e as pedras racham, tal é o poder diabólico dessas criaturas”. Alguns estudiosos descrevem três variedades: há o basilisco dourado, que pode envenenar alguém só com o olhar; um outro tipo capaz de cuspir fogo; e um terceiro, que, assim como a cabeça cheia de cobras da Medusa, provoca tamanho horror em quem o olha que suas vítimas ficam petrificadas.


Ao terminar de ler o papel eu pare de correr, estava a poucos metros da porta do banheiro, agora era apenas dobrar um corredor e entrar no banheiro, comecei a caminhar lentamente enquanto voltava a guardar o papel no bolso e retirar um outro, com minhas anotações pessoais sobre o que eu buscava. Nele contava minhas próprias pesquisas sobre o assunto e informações que conseguira de outros livros.
Anotações II:

dear XX,



“É preciso coragem e sangue frio para percorrer estes corredores abraçado as trevas... Mas somente coragem não adiantará... O meu sangue, poderoso e quente, deve correr em você para que em minha câmara o caminho você possa encontrar... Se revele a ela e ela se revelará a você... Apenas ao herdeiro ela obedecerá!
S.S.”

“Slytrerin construiu uma câmara secreta no castelo. Da qual os outros nada sabiam. Slytherin teria selado a Câmara Secreta de modo que ninguém pudesse abri-la até que o seu legitimo herdeiro chegasse a escola. Somente o herdeiro seria capaz de abrir a Câmara Secreta, libertar o horror que ela encerrava e usá-lo para expurgar a escola de todos que não fossem dignos de estudar magia.”

“Quando a câmara fora aberta, uma sangue-ruim morreu. Anos mais tarde descobriu-se que um basilisco era o responsável pela morte da garota sangue-ruim e a localização da entrada da câmara revelou-se ser um banheiro abandonado, onde o fantasma da morta vive até os dias atuais, porém sabe-se que a câmara guarda apenas os ossos deste basilisco.”


Eu sorrira, naquele momento eu me encontrava à porta do banheiro onde a murta morrera, eu me encontrava cada vez mais próximo da entrada da câmara secreta, eu não conseguia parar de sorrir, logo eu estaria onde queria e em breve encontraria o que buscava, levei a mão levemente a maçaneta, minha mente estava a mil, eu estava preparado para girar a maçaneta quando um feixe de luz se formou em meu rosto, meu coração gelou, como eu pudera me permitir uma distração tão grande como aquela, o susto fora tão grande que o ultimo bilhete que eu havia lido acabara caindo de minha mão, eu pensei em abaixar para pegar, mas tinha que descobrir quem tinha o feitiço lumus ativo em sua varinha, eu soltei a maçaneta e me virei calmamente, o sorriso já havia sumido de minha face, mas quase retornou ao ver quem me encarava e a surpresa presente em seu olhar.
- Hora, hora... – sorri – Faz algum tempo que não nos vemos não é mesmo? – encará-la ainda sem reação era algo quase engraçado, mas não tanto quanto ser justo ela a ser encontrada ali - Você está bonita! A luz do luar sempre te fez muito bem sabia? – comecei a caminhar lentamente até ela, embora não pudesse perder tempo ali, não queria deixar de me aproximar, por mais que quisesse negar era como se uma força sempre me atraísse a ela, a sua beleza, seu cheiro, o sabor de seu beijo, tentei abandonar aqueles pensamentos, mas a menos de um metro dela aquilo era mais que impossível, sorri e toquei levemente seu rosto – Não dizer nada senhorita Emily M. Watsgrint! – ela balbuciou algo, mas eu já não queria ouvir nada – Pensando melhor o silencio é muito melhor!
Antes que ela pudesse fazer qualquer coisa aproximei meu rosto do seu e lhe dei um beijo, embora a princípio minha ideia tenha sido lhe dar um beijo rápido o beijo se tornara mais longo do que esperado e melhor do que imaginara, havia tanta saudade naquele beijo que quase me desfoquei do que estava fazendo ali, um beijo tão bom que me fizera esquecer rapidamente do que vira no acampamento, mas agora eu me lembrara e devido aquilo me forcei a me separar dela, soltar seus lábios e me afastar, voltei alguns passos, sem tirar os olhos de Emily.
- Peço desculpas... Não quero atrapalhar seu relacionamento com a outra... – a lembrança veio mais forte – Garota? Devo admitir que nunca imaginaria algo assim vindo de você, mas não estou disposto a discutir isso, afinal, não temos mais compromisso nenhum... Quer dizer, você recebeu o patrono, não é mesmo? – cada palavra saia de forma calma, fria e sínica, embora eu tentasse evitar que elas saíssem daquela maneira, era algo quase automático, o que eu vivia no momento me forçava a ser assim tanto que não fazer aquilo era mais difícil do que imaginara, respirei fundo e voltei a falar – Tente ignorar o tom de minhas palavras, coisas demais ocorreram para evitar usá-lo.
Ela me olhos, já tinha baixado a mão com a varinha, involuntariamente, ou não, ela desfez o feitiço deixando a escuridão nos abraçar, embora escuridão não fosse bem o termo, uma vez que a claridade proporcionada pelo luar era o suficiente para nos vermos nitidamente, eu aguardava, ansiava ouvir sua voz, tanto que soltei um pequeno sorriso quando ela começou a falar.




   
   
   
Legenda:

Narração   ɸ ɸ ɸ Robert S. Winchester




ɸ Slytherin ɸ

Robert S. Winchester
Monitor Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 26
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Robert S. Winchester

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Emily R. Watsgrint em Dom 26 Out 2014, 01:52

Encontro Inesperado²




Emily + Robert



Emily se levantou da cama, era 1 hora da manha, era nesse exato horário em que gostava de fazer a ronda pelo colégio em busca de alunos malandros. Chad já havia a feito a ronda então iria sozinha dessa vez. Caminhou lentamente pelo dormitório para não acordar Marie, Isabelle e o resto das meninas que ali dormiam. Desceu as escadas para o salão comunal e passou dando pulinhos enquanto colocava seus sapatos e sua capa da Corvinal por cima da roupa de dormir. Saiu pela porta da Comunal e se deparou com um corredor mal iluminado pelas tochas ali pressentes.

Sentiu seu estomago roncar e então decidiu ir ate a cozinha roubar algo para comer como sempre fazia quando rondava o colégio. Estava no quinto andar, teria que descer muitas escadas para chegar ate o térreo, respirou fundo e aproveitou para passar em todos os andares já fazendo a ronda. Em cada andar foi vasculhando a procura de algum aluno fara da cama, mas ate agora não tinha visto nenhum, o que a estava deixando surpresa. Sempre havia um ou outro, seria essa a primeira vez sem dar advertência a alguém, pensou enquanto descia as escadas em direção ao segundo andar.

Entrou no segundo andar lentamente, ja estava realmente sorridente, pois acreditava que nao iria mesmo encontrar ninguem a essa hora da noite. Os quadros estava bem silenciosos, todas as figuras neles, dormindo, alguns roncando bem alto outros dormindo como anjinhos. Emily contornou o corredor que dava para  banheiro onde Murta vivia e viu ao longe um vulto de alguem alto. Emily parou por um momento as tochas que iluminava a figura de alto porte, faziam seu cabelo refletir. Loiro? Pensou e seu coração no mesmo instante acelerou, caminhou em passos apressados e conjurou o Lumus, assim iluminando as costas do individuo todo.

Emily estava com o coração na boca, se sentiu desmoronar quando o individuo se virou e Emily percebeu que era Robert. Sentiu suas pernas ficarem tremular, lagrimas surgirem no canto do olho no mesmo momento, abriu a boca e fez um feição de alivio por ver o amado sã e salvo. Nao demorou segundos ate Emily segurar as lagrimas e fechar a cara para ele novamente. Robert comecou a falar, elogia-la, mas Emily continuava em silencio apontando a varinha que o iluminava. Robert enquanto falava, tocava o rosto de Emily lentamente e Emily sentia seu corpo todo tremer, queria beija-lo, agarra-lo mas ao mesmo tempo lhe dar um tapa e gritar com ele tudo que queria dizer a ele em todos esses meses que havia sumido sem explicações. – Pensando melhor o silencio é muito melhor! - Falou e antes que Emily pudesse falar algo, sentiu-se ser puxada pela cintura para mais perto de Robert e em seguida receber um beijo de seu amado.

O beijo foi bem longo, Emily tentou lutar contra o desejo, mas não resistiu e passou sua mão pela nuca do amado enquanto ele a pressionava contra seu próprio corpo, Emily perdeu a noção do tempo naquele momento, nao sabia mais de nada. Só conseguia pensar em como os lábios de Robert pareciam ser feitos de mel, de tao perfeitos que eram, sem falar de seu cheiro que rondava o corredor todo. Emily estava com tanta saudade daquilo que durante o beijo deixou algumas lagrimas de saudade caírem e escorrem por seu rosto.

Sentiu-se ser afastada depois de um momento e rapidamente secou as lagrimas. - Peço desculpas... Não quero atrapalhar seu relacionamento com a outra... - Quando falou Emily arregalou os olhos, como ele poderia saber que ela havia beijado uma menina, ficou lhe olhando surpresa mas antes que pudesse falar algo ele continuou a falar, num tom seco e frio que nem Emily conhecia. – Garota? Devo admitir que nunca imaginaria algo assim vindo de você, mas não estou disposto a discutir isso, afinal, não temos mais compromisso nenhum... Quer dizer, você recebeu o patrono, não é mesmo?   - Falou e Emily no mesmo instante abaixou a varinha deixando os dois sendo iluminados apenas pelo luar que passava pela janela e por algumas tochas a uma certa distancia dos dois.

Naquele momento so se passava pela cabeça de Emily o quanto ela queria beijar Robert diante daquele luar,  quanto queria abraça-lo e sentir o seu cheiro por horas enquanto conversava com ele tudo o que perderam separados. Emily balancou a cabeça para tirar aquele pensamento da cabeça, estava escuro entao mao conseguia ver Robert, apenas seu cabelo loiro e metade de seu rosto. Emily levantou a mão e lhe deu um tapa bem na cara, Robert ficou em silencio profundo, sabia que era hora de Emily falar - Voce... Me abandonou... Sem dar sequer uma explicaçao! - Falou e viu o menino a  ollhar seriamente - E agora vem de ciumes para cima de mim? - Falou com lagrimas nos olhos, a raiva dessa vez estava bem maior do que o amor que sentia por Robert.

- Parou para pensar em quantas vezes nao consegui dormi por pensar que voce podia estar machucado ou ate morto? Ou pior, com alguma garota! - Falou e Robert tentou falar algo, mas Emily pôs a mao em sua boca, impedindo de falar qualquer coisa - Beijei uma menina mesmo! - Viu Robert arregalar os olhos - Achou mesmo que ia ficar sofrendo por voce, sendo que voce nem se quer me deu uma explicaçao de tudo o que fez? - Emily soltou a boca de Robert, ele estava perplexo com tudo que Emily havia dito, pela primeira vez, parecia que Robert tinha notado o quando esconder as coisas de Emily haviam machucado a menina. Emily nao conseguiu se segurar, comecou a realmentre chorar muito enquanto tentava falar uma ultima coisa. - Voce nao sabe o quando eu sofri sem ter noticias de voce e sem explicacoes sobre tudo isso! - Falou aos prantos, sentiu Robert passar a mao em seu rosto e seu choro foi cessando aos poucos, quando consegiu respirar, olhou para cima e Robert lhe olhava, no mesmo instante, perdida em seus olhos, ouviu Robert falar um feitiço - obliviates - Emily arregalou os olhos, mas sem poder falar nada, foi fechando os olhos e acabou dormindou ou desmaiando nao se sabe.Robert a deixou no canto do corredor, falou algo e saiu dali em direçao ao banheiro abandonado.




Emily Watsgrint
Robb
 
Monitora Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 23
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

Emily R. Watsgrint

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Jack A. Padalecki em Ter 28 Out 2014, 21:04

Examinando
O local


 

Tinha acabado de fazer uma parte da missão do halloween na cozinha, e me lembrei que tinha que passar pelo corredor do segundo andar para ver se encontrava alguma coisa suspeita pelo "Desmaio" de Emily. Sai da cozinha, passei pelo salão principal que não tinha muitas pessoas, fui para escadaria para subir até o segundo andar. Chegando la o local estava mal iluminado, poucas janelas e por sorte não estava fechado. Peguei minha varinha e falei "LUMUS". Comecei a procurar, olhei em todos os cantos e atrás de todos os quadros e nada achei, comecei a abrir as portas que ali tinha e ver se encontrava alguma coisa atrás delas, abri todas e não achei nada, a unica porta que sobrou foi a do banheiro abandonado, fui andando e pensando "O banheiro abandonado, um ótimo lugar para se esconder! Para esconder alguma coisa, para fazer alguma coisa sem ninguem desconfiar". Parei em frente a porta e a abri, quando eu abri avistei um papelzinho no chão, peguei o papelzinho apontei minha varinha para ele e comecei a ler "DEAR XX,
“É preciso coragem e sangue frio para percorrer estes corredores abraçado as trevas... Mas somente coragem não adiantará... O meu sangue, poderoso e quente, deve correr em você para que em minha câmara o caminho você possa encontrar... Se revele a ela e ela se revelará a você... Apenas ao herdeiro ela obedecerá!S.S.”
“Slytrerin construiu uma câmara secreta no castelo. Da qual os outros nada sabiam. Slytherin teria selado a Câmara Secreta de modo que ninguém pudesse abri-la até que o seu legitimo herdeiro chegasse a escola. Somente o herdeiro seria capaz de abrir a Câmara Secreta, libertar o horror que ela encerrava e usá-lo para expurgar a escola de todos que não fossem dignos de estudar magia.”
“Quando a câmara fora aberta, uma sangue-ruim morreu. Anos mais tarde descobriu-se que um basilisco era o responsável pela morte da garota sangue-ruim e a localização da entrada da câmara revelou-se ser um banheiro abandonado, onde o fantasma da morta vive até os dias atuais, porém sabe-se que a câmara guarda apenas os ossos deste basilisco.”"
Quando acabei de ler, não tinha mais palavras que descrevesse oque estava pensando, não acreditei no que li. "Por Merlin, Emily corre perigo, não só Emily mas sim todos os bruxos mestiços e de pais trouxas(Sangue-Ruim). Existe outro basilisco? Oque sera de Hogwarts." Coloquei o papelzinho em meu bolço. Com a expressão espanto em meu rosto, subo até meinha comunal para guardar muito bem aquele papel. 
  


Legenda:
Narração
Meus Pensamentos.
Escrita do Papel.
 
 
[/size]
Monitor Grifinoria

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 24
Casa:: Grifinoria
Time: Morcegos de Ballycaste

Jack A. Padalecki

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Robert S. Winchester em Dom 02 Nov 2014, 13:20



Encontro Inesperado³


Ainda sentia a face arder devido ao forte tapa, aquilo me fez encará-la, fria e silenciosamente, eu conseguia ver a raiva sobrepondo o amor, ou carinho, que surgira pelo beijo. Emily me encarava, eu sabia que ela buscava e reorganizava suas ideia, iria colocar para fora tudo que desejava falar a tempos, então eu aguardei sua voz ecoar pelo corredor.
- Você... Me abandonou... Sem dar sequer uma explicação! – ela falava calmamente, mas com a voz carregada de raiva - E agora vem de ciúmes para cima de mim? – aquelas palavras quase me fizeram rir – Parou para pensar em quantas vezes não consegui dormir por pensar que você podia estar machucado ou até morto? Ou pior, com alguma garota!
Aquela frase me fez querer gargalhar, eu já não sabia quantas noites passara em claro, cuidando de ferimentos ou quantas vezes estive a beira da morte, mas o que me fazia querer rir fora a ultima parte, se ela soubesse o quão estava certa em todas as afirmações, mas aquilo não vinha ao caso, o que eu tinha passado fora, de maneira inconsciente ou não, para mantê-la em segurança, e Victória não podia ser chamada de nada além de um disfarce, uma maneira de me infiltrar em meio aos caçadores levantando o mínimo possível de suspeita, embora fora mais uma vingança interna pelo beijo de Emily e a outra garota, respirei fundo, de toda maneira aquilo não importava, eu tinha um prazo a cumprir e aquela conversa poderia me atrasar, resolvi encerrar a conversa, mas Emily não me permitiu falar, colocando a mão sobre minha boca.
- Beijei uma menina mesmo! – aquilo me espantou, eu sabia que ela havia beijado uma garota, mas não acreditava que ela falaria, contaria, tão abertamente – Achou mesmo que ia ficar sofrendo por você, sendo que você nem se quer me deu uma explicação de tudo o que fez?
Ela me soltou e se afastou, ao concluir Emily tremia, embora tudo o que vinha fazendo fora, ao meu ver, para mantê-la sempre segura, eu realmente nunca parei para avaliar o que todos aqueles segredos, aquelas inda e vindas, estavam fazendo com ela, Emily me encarava e então se debulhou em lagrimas, a encarei em silencio.
- Voce nao sabe o quando eu sofri sem ter notícias de voce e sem explicacoes sobre tudo isso!
Eu respirei fundo, lentamente me aproximei e a abracei, passando a mão em seu rosto aguardando ela acalmar e cessar o choro, embora Emily estivesse certa eu não poderia, jamais, revelar tudo o que ocorrera e o que eu planejava, era arriscado demais para ela, se ela soubesse de toda história, meu envolvimento com o lorde das trevas, meu envolvimentos com os caçadores de bruxos e agora minha busca pelo basilisco, fora o que eu planejava fazer com ele sem imaginar o resultado final de tudo, se eu contasse a ela todos os meus segredos, seria o mesmo que assinar a sentença de sua morte. Eu respirei fundo e fechei os olhos.

Lembrança:



Eu estava cansado, alguns machucados mal cicatrizados, e outros novos adquiridos ao longo do dia, me incomodavam profundamente, alguns ardiam devido ao suor que escorria até eles, outros, os maiores, devido aos golpes que levava neles incessantemente. Victor me encarava furiosamente, gritando e me mandando prestar atenção cada vez que um de seus feitiços me acertava, ou quando algum feitiço meu não dava certo.
Embora o clima entre nós estivesse melhor depois do que ele e Talisson fizeram, eu ainda estava furioso com ambos, mas aquele não seria o momento ideal para mostrar minha revolta para com os dois, respirei fundo e me concentrei, mas para meu azar além de minha varinha falhar, soltando apenas uma pequena faísca, o flipendo de Victor me acertou em cheio, me arremessando para longe, eu me levantei o mais rápido que consegui, mas Victor já estava a menos de um metro de mim e com sua varinha apontada em minha direção.
- O que há com você? – ele bufou – Praticamente todos os seus feitiços deram errado na ultima hora!
- Dá um desconto... – resmunguei enquanto me sentava no chão, respirando rapidamente para recuperar o ar – Eu estou exausto, faminto, todo arrebentado e... – o encarei – Já falei que estou faminto?
- Levante-se logo! – ele arqueou a sobrancelha – Achei que seu condicionamento físico fosse melhor e que você possuísse mais magia, se soubesse que era tão fraco tinha recrutado outro bruxo melhor! – a ira nas palavras de Victor despertaram a minha ira.
- UM BRUXO MELHOR? – me levantei e encarei Victor – Quantos bruxos aguentariam passar por aquele “inicio de treinamento” sem sequer questionar quando ele terminasse? Quantos bruxos aguentariam passar por metade do que estou passando sem reclamar? – cerrei o punho de minha varinha – Enquanto você passa a noite dormindo eu passo a maior parte da minha treinando combate físico e planejamento com o Talisson e enquanto ele passa o dia dormindo eu passo com você treinando feitiços! – eu fechei a cara e cerrei ainda mais o punho – Acorda Victor! Nem que você rode todo o mundo bruxo e trouxa! Nem mesmo você! Não existe bruxo melhor e mais poderoso que eu! – rapidamente saltei para traz e apontei a varinha para o peito de Victor – Estupefaça!
Victor me encarou e segurou o riso, eu bufei, furiosos, ao contrário do que eu imaginei, que meu feitiço arremessaria Victor longe, fazendo-o cair, inconsciente, perto de alguma arvore, no lugar disso saiu apenas uma pequena faísca, encarei a varinha em minha mão e depois Victor.
- Você deu sorte! – ele caiu na gargalhada – Se eu não tivesse levantado às cinco da manhã e treinado duelo com você, sem interrupção, nem mesmo para me alimentar, até agora você teria sentido minha fúria!
- Sei... – ela parou de rir e se sentou em um tronco alguns passos de distancia – Vamos parar um pouco e descansar.
- E comer! – conclui rapidamente.
- Robert... – ele começou a falar após alguns minutos em silencio – Você entende o porquê deste treinamento?
- Sim... – respirei fundo e o encarei – Em uma batalha de verdade pode ser que não se tenha tempo para descansar ou comer, pode ser que eu precise lutar por horas... – encarei minhas mãos, cheias de calos e doloridas – Se eu não estiver forte e preparado para isso, tanto física quanto magicamente, eu morrerei quase que imediatamente caso uma guerra estoure.
- O que sabe sobre o feitiço Obliviate? – Victor me encarou, o olhei de relance.
- Que ele altera ou apaga a memória do alvo. Em casos extremos, os danos são permanentes. Quem o usa é chamado de Obliviador!
- Exatamente... – Victor se levantou e me encarou – Já descansou? – fiz que sim com a cabeça – Robert pode ser que mesmo bem treinado você precise de uma carta na manga, por este motivo irei lhe ensinar a usar o Obliviate... – eu me levantei – Porém quero que só use esse feitiço se ele for estritamente necessário, o uso deste feitiço sem o devido treino pode acabar prejudicando de maneira irreparável a mente de uma pessoa, você entende isso? – confirmei e ele continuou – Eu lhe ensinarei tudo que deve saber sobre como executar o feitiço, mas você não deve usá-lo até ser necessário seu uso, nas primeiras vezes que você usar o feitiço não sairá perfeitamente, ao invés de apagar a mente do alvo você irá apenas confundi-la, será como se tudo o que ocorreu, tudo que você quisesse apagar, não passasse de um sonho, o alvo atingido desmaiará e quando acordar o que você tentou apagar estará tão embaralhado na mente dele que ele vai acreditar que tudo não passou de um sonho, deste modo se você não afirmar nada ele também não o questionará.
Eu ouvia cada palavra de Victor, assim que ele encerrou sorri, já estava mais descansado, daquele momento em diante o treinamento seria melhor e Victor sabia disso, então, sem perdas de tempo, ele começou a me ensinar a lançar o feitiço Obliviate.


Abri os olhos e olhei para baixo, na direção dos olhos de Emily, lentamente peguei minha varinha e apontei para ela, seu choro já havia cessado e ela estava bem mais calma, assim que a respiração se normalizou ela olhou para cima, nossos olhos se encontraram, ficamos em silencio por algum tempo até que eu finalmente decidi o que fazer.
- Obliviate!
Os olhos de Emily arregalaram e, logo em seguida, foram se fechando lentamente, assim que ela desmaiou eu pousei, levemente, seu corpo no chão, depois me levantei e caminhei até a porta do banheiro feminino abandonado, assim que toquei na maçaneta olhei na direção de Emily, que dormia no corredor.
- Me desculpe Emily... Mas não posso te contar nada... Por mais engraçado que possa parecer, é para o seu bem que faço tanto segredo... Mas é obvio que ficar com você e fazer tantos segredos não é o correto, por isso é melhor você me esquecer... Por que a partir deste momento Hogwarts e o que eu vivi aqui estão no passado!
Dito aquilo eu desviei o olhar e entrei no banheiro, esperando, ao fechar a porta, deixar para trás tudo, toda minha história ali, todas as amizades. Eu esperava deixar Hogwarts para trás e, dali em diante, seguir o caminho que eu havia nascido para trilhar.







Legenda:

Narração ɸ ɸ ɸ Robert S. Winchester ɸ ɸ ɸ Emily M. Watsgrint





ɸ Slytherin ɸ

Robert S. Winchester
Monitor Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 26
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Robert S. Winchester

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Jéssica Winry em Ter 23 Dez 2014, 11:15




Caminhando sem Direção


Não tinha coisa melhor do que uma caminhada pelo castelo um pouco de manhã enquanto todos os alunos dormiam ou então faziam a primeira refeição do dia no salão principal, portanto os corredores do castelo estavam praticamente desertos exceto por alguns alunos que mais pareciam zumbis ou fantasmas que cruzavam comigo de vez em quando. Andei por vários minutos, apenas seguindo os corredores do castelo sem nenhuma curiosidade sobre onde iam ou deixavam de ir. Parei em frente a uma janela aberta e me apoiei seu parapeito, apoiei os braços ali e inclinei o corpo até tocar o chão apenas com a ponta do tênis, como uma criança, e fiquei ali a sentir àquela deliciosa brisa bagunçar meu cabelo.

LEGENDA

Narração Jéssica
Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 21
Casa:: Sonserina
Time:

Jéssica Winry

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Nicklaus B. Sommers em Dom 25 Jan 2015, 17:07

Back to the Past



Caminhei pensando em tudo que havia ocorrido, eu havia ficado fraco, mudado e diferente, deixei me levar pelos sentimentos e acabei ferido, precisava voltar a ser o que eu era antes de ter conhecido Marie, uma pessoa sem emoções, apenas fazendo o que eu queria na hora que eu quisesse. Estava um dia ensolarado e eu odiava sol, não por ser vampiro, era tudo invenção dos trouxas, mas sim por ser algo que me fazia suar. Caminhava lentamente pelo castelo, corredor por corredor, acabei nem reparando que ja estava no segundo andar.

Encostada na parede estava Emily, lendo como sempre, nao parava nenhum segundo, soltei um sorriso de lado e passei do seu lado dando um tapa no livro, fazendo cair, continuei andando enquanto ela me olhava. - Nick! - Ouvi seu grito e parei olhando de lado para tras. Ela apontava para o livro caido, eu fiz uma cara surpreso e me virei para ela. - Nao reparei que tinha deixado-o cair - Falei e ela cruzou os braços, gargalhei e me aproximei dela pegando o livro e voltando a lhe olhar. - Estou brincando my love - Falei e ela descruzou o braço pegando grossamente o livro.

- Faz um tempo que nao conversamos - Falei fechando o livro dela e tirando-o de sua mao. Peguei ela pelo braço e a leve i para um banco - Vamos conversar Ems - Falei e a fiz se sentar, foi meio a força, mas estava com saudades de minha amiga, ela so andava com o corvino naquele tempo em que eu so tinha olhos para Marie. - O que me contas de novo my love? - Perguntei e esperei ela me responder.


Fantasma

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 20
Casa:: Sonserina
Time: Vespas de Winbourne

Nicklaus B. Sommers

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Emily R. Watsgrint em Dom 25 Jan 2015, 20:53

Nicklaus





- Assim pedir é um pouco mais educado Nick - Falei devido ao seu jeito de me arrastar para uma conversa, ele sorriu, acabei sorrindo tambem, nunca conseguia ficar brava com Nicklaus, ele era quase um melhor amigo para mim, apesar de sempre só fazer burrada.. Lhe dei um tapa, tinhaa acabado de me lembrar do James - Isso foi por ter sido infantil de ficar implicando com o James quando voce namorava! - Falei e ele revirou os olhos, sabia, saia que ele não queria conversar sobre o passado de seu namoro, mas eu precisava lhe dar uma bronca por sua infantilidade. Peguei meu livro de volta e o pus em meu colo, iria conversar com Nicklaus, fazia mesmo um tempo que nao conversavamos.

Fiz um carinho no seu rosto, tecnicamente em sua barba mal crescida. - Tava com saudades - Falei sorrindo e em seguida abaixei a mao, ele sorriu e falou que tambem estava com saudades. - Bem as novidades - Falei olhando para cima pensando no que iria dizer, o que tinha para lhe contar. Me lembrei de um babado forte que ele iria adorar saber. Me aproximei de seu rosto e sussurrei de um  jeito que ninguem que passava pelo corredor pudesse escutar sem ser ele. - Minha mae ta pegando o Rupert - Falei e o vi ficar surpreso e em seguida falar algo.

Nicklaus JackMariePensamentosIsabelleComensalRupertRobert





Emily Watsgrint
Robb
 
Monitora Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 23
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

Emily R. Watsgrint

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Nicklaus B. Sommers em Dom 25 Jan 2015, 21:31

Back to the Past



- Minha mae ta pegando o Rupert - Falou e arregalei os olhos, jamais imaginaria titia Alexia pegando o enfermeiro de Hogwarts, fiquei sem fala por uns momentos, Emily sorria, para ela aquilo parecia ser algo bom. - O enfermeiro? - perguntei e Emily afirmou animada com a cabeça, arregalei mais ainda meus olhos e em seguida olhei para Emily. - Sua mae ja teve um gosto melhor ein! - Falei e Emily voltou a me bater e começou a tagarelar sobre como Rupert era um cara legal, ainda preferia Albert e deixei claro minha preferencia sobre com quem Alexia tinha que ficar.

- E voce Emily, o que tem de novo? - Falei e ela começou a falar sobre Robert, parecia ate que tudo que saia de sua boca era sobre ele, eu a entendia, era bem dificil tirar alguém de seu coraçao, mesmo que a pessoa só te machucasse, mas eu e Emily lidávamos diferente com essas coisas, eu me fechava e fingia estar bem, ela ficava triste em seu canto. Tampei sua boca depois de um tempo, aquele papo ja estava sendo torturante. - Nao quero saber do Robert, quero saber de você, segue em frente Emily, beije novas pessoas - Falei me aproximando dela, vi que ficara nervosa e soltei um sorriso - Posso ser o primeiro se quiser - Falei e esperei ela reagir ou falar algo.


Fantasma

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 20
Casa:: Sonserina
Time: Vespas de Winbourne

Nicklaus B. Sommers

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Emily R. Watsgrint em Dom 25 Jan 2015, 21:45

Nicklaus





Nicklaus se aproximou de meu rosto, fiquei nervosa, ele era muito atacado, lhe dei um soco na sua parte intima e o vi se afastar rapidamente, saiu do banco e caiu no caho de dor. Peguei meu livro e o ajeitei em meu colo, esperei que ele se recompo-se e em seguida o olhei. - Nick, voce sabe que comigo seu charme nao funciona - Falei enquanto ele se arrastava de volta para o banco, com um sorriso provocador no rosto. - Tentei pelo menos - Falou e logo lhe dei um tapa so que com o livro dessa vez. Ele me olhou assustado, mas antes que pudesse perguntar por que tanta agressividade respirei fundo e lhe pedi desculpas.

- Olha, acho certo voce estar seguindo em frente, levou chifres e tal - Falei e vi sua expressao mudar, toquei no ponto fraco, mas logo fiz um carinho em seu ombro. - Acho certo voce tentar algo com outras pessoas mas nao comigo Nick - Falei e ele me olhou com um mini sorriso me aproximei dele e encostei minha cabeça em seu ombro. - Voce sabe que nao gosto das pessoas pela beleza e sim pelo que tem dentro - Falei e ele afirmou que sim, ele me conhecia desde pequena. - Seu encanto nao caio Nick - Falei e depois gargalhei e ele logo gargalhou comigo e em seguida respondeu

Nicklaus JackMariePensamentosIsabelleComensalRupertRobert





Emily Watsgrint
Robb
 
Monitora Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 23
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

Emily R. Watsgrint

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Luck (Fortuna in Ludis) em Qua 24 Ago 2016, 11:59


Novo Recomeço

História

Explicaçao

Olá Convidado,

A quinze anos atrás o mundo bruxo conheceu uma força destrutiva tão grande, tão poderosa e tão cruel quanto o lendário lorde Voldemort. Um novo lorde das trevas surgia, Lord Antony Darligulv, Antony, que outrora fora um estudante em Hogwarts e um dos melhores amigos daqueles que se tornariam Ministro e Diretora de Hogwarts, Albert e Alexia, se desviou dos ensinamentos de Hogwarts, aprofundando-se em uma busca por poder e conhecimento negro, cada vez mais inclinando-se às trevas.
Após se formar Antony decidiu partir em busca dos antigos manuscritos de Lord Voldemort, revivendo o termo Comensais da Morte e mergulhando o mundo em uma nova era de trevas. Antony em sua busca por controle sobre o mundo bruxo desafiou seus antigos amigos, o Ministro da Magia Albert W. McAlister e a Diretora de Hogwarts Alexia R. Watsgrint, embora diversos embates tenham ocorrido, jamais houvera um vencedor.

(...)


Não se sabe o que causou a queda das proteções de Hogwarts, mas é de conhecimento geral o que ocorreu após isso. Com a queda de seus feitiços e rituais de proteção Hogwarts fora atacada pelo temível Lord Antony Darliguv e seus cruéis Comensais da Morte. Após o ataque ao Ministério da Magia Inglês, que levou o bruxo Gerard Guinever, bruxo que fora considerado o Bruxo deste Milênio, a morte.
Antony invadiu Hogwarts, uma invasão que custou caro ao mundo bruxo. Durante a invasão que entrou para os livros de história como o maior massacre do mundo bruxo, Lord Darligulv e seus Comensais findaram com um incontável números de vidas. Alunos, funcionários e professores pereceram pelas mãos do Lorde e seus seguidores. Em um último embate o Ministro da Magia, Albert W. McAlister, caiu perante a varinha do Lorde das Trevas, após a queda de Albert, Antony partiu em busca de sua última grande inimiga, a Diretora de Hogwarts, Alexia R. Watsgrint.
O duelo entre Alexia e Antony causou uma destruição imensa em Hogwarts, bem como a morte de muitos alunos em meio ao processo. Após o fim do duelo o Lord Antony Darligulv caiu perante a varinha de Alexia, com a queda do lorde os Comensais que o acompanhavam foram sendo derrotados rapidamente, não deixando outra alternativa aos que sobreviveram senão fugir de Hogwarts.
Um último Comensal, John B. Smooken, braço direito do Lord Antony Darligulv, confrontou Alexia pela morte de seu mestre, em meio ao duelo, quando a vitória do comensal parecia certeira, uma chama de esperança surgiu, Robert S. Winchester interveio, matando o comensal e salvando a vida de Alexia. Após o ataque Robert simplesmente desaparecera sem deixar qualquer vestígio, ignorando até mesmo os agradecimentos de Alexia ou do mundo bruxo.

(...)

Um ano após o impetuoso ataque, entre reformas e construção de novos meios de proteção, Hogwarts finalmente estava pronta para receber alunos novamente. Agora vinha a parte mais difícil, que era convencer os bruxos de todo o mundo que Hogwarts era um lugar seguro para as crianças de todo lugar. Embora Alexia Robb Watsgrint conseguisse provar que Hogwarts estava novamente apta a abrir as portas e receber alunos, ainda existem aqueles que desconfiam de tal coisa.




Staff
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 1
Casa::
Time: Nenhum

Luck (Fortuna in Ludis)

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Alec S. Duchanne em Qua 28 Set 2016, 18:43

UnexpectedVisit
bye bye
slytherin
16 years
pretty boy
don't touch my hair, bitch!
Alec não dormiu muito bem a noite sabendo que Bem foi selecionado para a mesma casa que ele e estava a poucos centímetros dele roncando mais que sei lá o que. Teria que se acostumar com isso, uma vez selecionado não poderia mudar. A não ser que o chapéu tivesse fumado um, momentos antes da cerimônia da seleção. Não estava muito surpreso por ele ter caído na sonserina, afinal ele e Alec eram muito parecidos. Não muito. Terminou de vestir seu uniforme e seguiu para aula de transfiguração.

- Só podem estar de brincadeira! – resmungou surpreso ao virar o corredor e ver aqueles dois rostos conhecidos conversando com uma professora gorda do primeiro ano. Cheguei perto deles e a mesma saiu assim que cheguei perto, fazendo uma cara feia e com vários bolinhos nas mãos, além dos outros dois na boca quase transbordando.

- O que estão fazendo aqui? – cruzou os braços - Olá filho é bom ver você também!  - disse mamãe irônica – Não vai nos dar um abraço? – perguntou o senhor Sherwood. Alec abraçou os dois ao mesmo tempo revirou os olhos quando eles não puderam ver e voltando ao normal quando estavam cara a cara.

- Soubemos que você está com uma vassoura...
– disse papai agora sério, era incrível como ele mudava de humor rápido, sabia de quem Alec puxara essa característica. -  Fala sério!  - arregalou os olhos – Vieram até aqui pela vassoura que ganhei no acampamento? – disse agora sério quase rindo.

- Você sabe que seu castigo é nem pensar em voar. Não sabíamos que no acampamento teriam vassouras. Caso soubéssemos você não ia nem em pensamento. - resmungou – Tio Zack me levaria sem problemas - disse baixo – O que disse? -  perguntou a mulher agora mais séria que o homem ao seu lado. – Nada! Não disse nada! – inclinou a cabeça para cima e bufou – Quer saber? Pode pegar essa vassoura, ela não serve nem para varrer mesmo. – sorriu debochado e deu as costas ao dois – Onde está!? – perguntou o homem – Tá no meu quarto! Vai lá pegar se quiser! – disse sem olhar para eles e sumiu dentre os corredores do castelo.



Sonserina
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 20
Casa:: Sonserina
Time: Morcegos de Ballycaste

Alec S. Duchanne

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Emily R. Watsgrint em Ter 11 Out 2016, 21:17

Hogwarts
 
Emily saiu da comunal cantarolando alguma coisa, estava para encontrar com Alec na biblioteca, havia prometido que iria fazer o trabalho de herbologia com o mesmo. No meio do caminho pode ver um aluno novo loiro sentado em uma das janelas do corredor, segurando um pergaminho. Se aproximou em silencio do mesmo espionando sobre o ombro do mesmo a matéria que  estava estudando. - Ah historia da magia, uma das matérias mais difíceis - Falou dando um susto no mesmo que se virou fechando o livro automaticamente.

- Desculpe... Prazer... Emily - Falou esticando a mão para o lufano a sua frente que rapidamente apertou a mão da mesma soltando um sorriso simpático para a mesma. - Me chamo Dean - Falou o mesmo fazendo Emily soltar uma leve risada para o mesmo sentado a sua frente. - Sei quem é... Alec ja falou de você - Falou podendo notar que o mesmo ficara surpreso com a noticia, foi o momento em que Emily percebera que estava sendo rápida demais em seu plano de ajudar os dois. - Falou de uma Jennifer também - Falou deixando o mesmo talvez mais aliviado.

Sentou-se ao lado o mesmo sem perguntar se poderia, mas o mesmo nao pareceu se incomodar.  - Mas me diz... Como vocês três se conheceram? Nao me recordo de vocês conversando a caminho do acampamento - Falou a mesma olhando para o mesmo que nao demorou muito para responder.

Emily - Edward Outros  - Julie James -
 Alexia - Ben - Jessica - Robert - Patricia  -Jack

Thanks to Evil Queen



Emily Watsgrint
Robb
 
Monitora Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 23
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

Emily R. Watsgrint

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Natasha K. Negovanlis em Seg 28 Nov 2016, 20:09

Alvo

Sai de minha comunal com minhas vestimentas e brincos que combinassem com a cor de minha casa, dourado com pedras verdes esmeraldas. Passei rapidamente no salão principal apenas para falar com Ben, sua historia com a diretora do castelo, ainda nao conseguia aceitar que o mesmo se apegara alguém de casa diferente de nossa. Agora que estavam namorando aos olhos da diretora eu tinha que como boa amiga aceitar o mais novo casalzinho, mesmo que as vezes eu os atrapalhasse.

Sai do salão e subi um nível de escadas entrando direto no corredor do segundo andar. Ele estava deserto mas em uma das janelas podia se ver um corvino estudando alguma matéria irrelevante para mim. Tipico de covirnos... Sempre estudando pensei me aproximando do mesmo ate pode-lo identificar, foi quando um sorriso se formou em meu rosto. - James - Falei me sentando ao seu lado na janela.

- Faz tempo que nao vejo sua beleza rondando o castelo - Falei sorrindo para o mesmo, ele era a chave para minha vingança contra Marie por ter beijado meu brinquedinho. Agora eu iria acabar com quem ela mais amava. Iria faze-lo se apaixonar por mim e esquece-la, nao existe coisa pior. - Esta sabendo do novo casalzinho? - Perguntei para o mesmo que rapidamente ficou pensativo sobre o assunto. - Emily e Ben? - Falou e eu rapidamente neguei com a cabeça com um leve sorriso preso ao rosto.

- Esse já e velho já - Falei e o mesmo pareceu ficar curioso, mais curioso ainda. Soltei um leve sorriso, ter meus escravos naquele castelo era útil para saber que Marie e Chad estavam se pegando as escondidas - Marie e Chad... Eles estão se pegando escondidos - Falei e pude ver o incomodo sobre os olhos do corvino o que me deu prazer.

- Agora me responda... O que esta te prendendo? - Perguntei e o mesmo me olhou confuso e pensativo sobre minha pergunta enquanto eu me mantinha com o sorriso preso. - Nada esta me prendendo Natasha... - Falou ele largando seus objetos de estudos e se sentando de uma forma que ate facilitava de chegar perto dele. - O que quer dizer com meu prendendo? - Perguntou confuso me olhando eu apenas coloquei meu cabelo para tras.

- Se nada te prende... Por que nao fica logo comigo?
- Perguntei pegando o mesmo de surpresa ele me olhou tentou falar algo mas nada saiu de sua boca. - Marie já seguiu em frente... Segue a sua tambem... Comigo - Falei colocando um sorriso provocador sobre minhas expressões. Ele ficou pensativo por alguns segundos, nesses exatos segundos pude ver ao longe, no fim do correr Marie.

Talvez fosse o destino ou apenas uma coincidência de sorte. Soltei um sorriso e nem deixei que James falasse algo, apenas o puxei para um beijo olhando diretamente para Marie que se pôs  a ficar seria, em seguida fechei meus olhos ao perceber que ela estava a ver e me concentrei no beijo que James nao negara me dar nem por um segundo.
Eu
Nick
Ben
James
Legenda
Legenda

Natasha Ruth Negovanlis
© HARDROCK


Sonserina
avatar

Natasha K. Negovanlis

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por James C. Armstrong em Qua 30 Nov 2016, 13:32

Natasha
James MarieJulie Robert Emily Milena JackPensamentoEdward



- Marie já seguiu em frente... Segue a sua também... Comigo - Falou e a olhei duvidoso, era fato que eu e Marie nao iria mais rolar porem saber que a mesma me trocara por Chad... Aquilo chegava a me irritar. Respirei fundo eu iria negar Natasha... Nao usaria a mesma para tentar esquecer alguém, mas ela fora tao rápido que quando eu percebi a mesma já estava a me beijar. Nao tentei nem sair do beijo, nao podia negar que Natasha era uma menina linda.

Nosso beijo foi bem demorado, o que me deixou surpreso nao pensei que acabaria me entregando para aquele beijo, mas ele fora bom o que me deixou me concentrar nele por um tempo, mas logo minha mente voltou a pensar em Marie, mesmo estando a beijar outra pessoa. -Bonito! Que bonito, hein! Que cena mais linda. Será que eu estou atrapalhando o casalzinho aí? - Falou uma voz que me fez afastar de Natasha no mesmo instante, olhei para o lado e pude ver Marie nos encarando, meu coração acelerou de uma forma que eu nem consegui responder a sua ironia. Logo uma das duas falou.








James Crawford Monreal Armstrong
People who make us happy, are never the people who we expect...
Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 14
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

James C. Armstrong

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Marie R. Stonkovick em Qua 30 Nov 2016, 19:12

Que Bonito
será que to atrapalhando o casalsinho ai?
Marie
Natasha
James  
Chad
Depois de ter o prazer de atrapalhar a conversa de Chado com Robert no patio decidi dar uma volta pela escola. Há muito tempo não fazia isso apenas por diversão. Passei na cozinha e roubei uma maça das frutas que estavam para ser cortadas para a próxima refeição e segui para o primeiro andar que era bem chato na verdade mas como eu não tinha nada melhor para fazer. Após a volta nos corredores do primeiro andar fui para o segundo, que era um pouco mais interessante até que ao virar em outro corredor avistei James conversando com uma garota. Eu percebi que a mesma tinha me visto, pois seu próximo ato foi beijá-lo.

Aquilo doeu no fundo da alma, doeu mais ainda ver que James estava correspondendo a menina. Andei silenciosamente até uma janela próxima dos dois e fiquei ali observando, por mais que eu quisesse que James se afastasse de mim para sua segurança ele não podia escolher alguém menos bonita? Sorri com meu pensamento -Bonito! Que bonito, hein! Que cena mais linda. Será que eu estou atrapalhando o casalzinho aí? - eu falei e sorri. Na mesma hora James se afastou da menina e então a reconheci, era a menina que Chad estava tentando enciumar no baile, e então sorri para a mesma. Todos ficamos quietos depois da minha ultima fala e como eu não estava afim de mostrar que aquilo me incomodara - James você está pálido, se assustou com alguma coisa? - falei irônica para ele - Estou brincando. Mas queria parabenizar você encontrou uma menina até que.... ajeitadinha para brincar... quer dizer ficar. - James ia falar algo mas eu continuei - Isso é muito bom.. não queria atrapalhar não na verdade eu estava procurando um lugar para ficar a vontade com o Chad - vi algo mudar no olhar dos dois e sorri esperando um deles responder.







Just come to make me feel alive
- 15 - Come make a mess with me
Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 14
Casa:: Corvinal
Time: Morcegos de Ballycaste

Marie R. Stonkovick

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por James C. Armstrong em Qui 01 Dez 2016, 17:52

Discussao
James MarieJulie Robert Emily Milena JackPensamentoEdward



- Isso é muito bom.. não queria atrapalhar não na verdade eu estava procurando um lugar para ficar a vontade com o Chad - Minhas expressões ficaram serias no mesmo instante que ouvi aquelas palavras saindo da boca de Marie mas depois apenas respirei fundo voltando meu olhar para Natasha ao meu lado, lhe dei um leve sorriso e voltei a olhar para a Corvina a nossa frente. - Tudo bem... Olha... Se nao me engano Chad deve estar ou  na comuna ou na cozinha, ele é um menino bem comilão - Falei dando uma leve risada enquanto o sorriso provocativo de Marie sumia ao perceber que eu nao parecia mais incomodado com suas palavras.

Me levantei guardando minhas anotações das aulas e em seguida esticando a mão para Natasha que apenas a segurou soltando um leve sorriso vitorioso. Se Marie queria jogar esse jogo de provocações eu estava determinado a tortura-la, nem que eu precisasse namorar Natasha para isso. - Bem... Vou indo Marie, nos vemos por ai - Falei cruzando meu braço com o de Natasha que espenas observava a cena que estava acontecendo naquele momento. - Vamos amor... Acredito que esteja com fome - Falei andando com a mesma pelo corredor deixando Marie sozinha para trás.








James Crawford Monreal Armstrong
People who make us happy, are never the people who we expect...
Corvinal
avatar

Perfil Escolar
Nivel de Experiencia: 14
Casa:: Corvinal
Time: Tornados de Tutshill

James C. Armstrong

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Corredor do segunda andar

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum